quarta-feira, 28 de março de 2007

Escaleno

Guardemo-nos. Nós dois
Corre amor
O portão vai fechar
Vem depressa
Construí essa redoma pra nós
Não pare
Lá vem o fogo
Não, não pode.
Aqui só cabem dois
Nós dois.
Quem é esse aí?
Você quer que eu saia?
Mas fui eu... que construí isso!

.

.

.

.

.


Naquele momento
Eu estava tão doente
Que ainda pensei que coubessem os três
Mas fiquei do lado de fora
O fogo me queimou
Hoje...
Pode vir amor
Tanto faz
Não tenho mais nada que possa ser queimado mesmo!




5 comentários:

Papillon disse...

nada a perder
td a construir
para q possa perder
outra vez

_Peter_Pan_ disse...

um amor tão escaleno só pode terminar a ser consumido pelo fogo, o fogo dos prazeres.

Pluto disse...

Menino, que coisa hem! Três é sempre gente demais.

fuu disse...

Yosh! É uma droga quando isso acontece!!! Se eu pudesse voltar no tempo, sairia de casa agora, daria murro em gente(naquela mulher), e então voltaria para este momento em que comento uma poesia com a qual me identifiquei...
Yosh...

fuu disse...

Pensei melhor. Não faria aquilo não...